Marilenda Tchauí quer taxar grandes fortunas acima de 3 salários: “Eu não odeio a classe média, só tenho nojo…”

GRANDESFORTUNAS

BRASÍLIA – O Partido da Tributação (PT) cria pauta para superar o sacrifício do Ajuste Fiscal, de olho no bolso da classe média. Devido ao rombo financeiro deixado pelos escândalos, pelas obras da “copa das copas” e pela simples má-gestão, o governo diz que agora precisará tomar medidas amargas para tapar o buraco sem fundo que restou.

– Com o dinheiro dos ricos não podemos fazer nada, pois eles nos financiam a revolução bolivariana. E com o dos pobres não dá, se não perderemos voto nas eleições. Sobrou para a classe média… – disse o novo ministro da Fazenda, Nérso Babosa.

A filósofa-petista Marilenda Tchauí já declarou que odeia a classe média, mas vai fazer um esforço para colocar mais “amor” em sua militância:

– Quem recebe mais de três salários-mínimos é rico e precisa ser tributado, brasileiro paga poucos impostos… Quando todos estiverem igualmente pobres, finalmente será instalada a “igualdade” – filosofou. Marilenda comentou em seu blog pessoal “Coreia do Norte, I love you” que na verdade não odeia a classe média:

– Não é ódio, é nojo. As pessoas confundem…