Crise na Síria: Putin está com a batata Assad

obamaputinsiria

O presidente progressista dos EUA, Obama Bin Laden, está preocupado com a questão da Síria. Ele acha que Bashar Al-Assad não é um ditador amigo como são os presidentes das democracias da América Latrina. “Ele está comendo criancinhas como os comunistas, mas a pedofilia ainda é proibida em nosso meio”.

O presidente da Rússia, Vladimir, ficou putin com as declarações de Obama e desabafou:

– Assad é útil porque combate o Estado Islâmico.

O presidente americano concorda com Dillma no que tange à questão dos refugiados. Ele acredita que o continente americano tem espaço suficiente para acomodar gente de bem:

– Vamos criar um Estado Palestino no Brasil, no Acre, conforme sugeriu Dillma. Depois pensaremos num lugar para o Estado Islâmico. Temos sempre que tentar o diálogo. Esse é um assunto que está bombando…

Prefeito planeja fechar Paulista para o “jogo de amarelinha”

haddadamarelinha

O prefeito de SP Fernando Raddar quer mais uma faixa na Avenida Paulista. Agora a via terá espaço para o jogo de “amarelinha”. A faixa, como não poderia deixar de ser, terá a cor amarela:

– O povo quer pular no quadradinho. Quem quiser chegar ao trabalho que pegue um helicóptero. Emprego é coisa de burguês…

Raddar anunciou aumento do IPTU (Imposto de Paralisação do Trânsito Urbano) para imóveis irregulares:

– Vamos dobrar o IPTU dos imóveis da burguesia, de quem recebe mais de dois salários mínimos.

Raúl Castro reza o “Chavez-Nosso” na ONU

raulnaonu

Como em todas as reuniões de que participa, o presidente cubano Raúl Castro iniciou seu discurso na 70a assembleia geral da ONU com a oração venezuelana do “Chavez-Nosso”:

– Chavez Nosso que estás no inferno, santificado seja o paredón…

Papa Francisco estava presente e se juntou à oração ajoelhando-se. Horas depois, o sumo pontífice concedeu entrevista a jornalistas no avião, em seu retorno ao Vaticano, e declarou que os ateus não precisam crer em Deus: “basta que acreditem no manifesto comunista”.

Discurso na ONU: Dillma exagera na dose e chama Raúl

DILMACHAMARAUL

Dillma discursou ontem na 70a assembleia da Organização do Narcotráfico Universal (ONU) e causou comoção entre os presentes. O discurso foi feito com playback para evitar o risco de tropeços em sua fala. Ela viajou a Nova Iorque no lugar do presidente do Brasil, João Santana, que não pôde comparecer.

A ex-assaltante de bancos agradeceu ao sistema financeiro pela força nas últimas eleições presidenciais lembrando que agora não precisará mais do financiamento privado:

– Já deu pra encher o Caixa 2. Agora queremos que o povo brasileiro financie o gasto.

Ao fim do discurso, a presidente passou mal e chamou Raúl. Diante do público, pediu desculpas pela sessão de vômito:

– Gente, me desculpe. Eu ontem bebi demarx…