A Intervenção Divina

LUZZ

Meu irmão, minha irmã, a coisa tá de um jeito, que não sei não, viu, a terceira dimensão uma hora se derrete e vem logo a quarta atropelando e chegando e ficando pra sempre entre nós. Os absurdos vão se agregando numa montanha sem fim, e quando você pensa que já viu de tudo, não viu nada ainda…

Um povo arrogante, pedante, prepotente que chega ao poder, Deus sabe lá como, apronta os diabos, arrasa quarteirão nas contas do Erário, como uma facada cruenta nas costas de quem rala o ano inteiro, metade dele para pagar tributos a César. E chegou prometendo mundos e fundos, criticando o mal lavado, quando ele é quem era o sujo, o encardido. Contabilize aí bilhões de reais gastos na copa das copas, nas olimpíadas, e outros bilhões em escândalos diversos, todos terminados em “ão” – que me recuso a repetir esses nomes, senhor. E não esqueça de pôr na conta o montante da simples má gestão, da incompetência técnica mesmo.

Eles acham que podem enganar a todos todo o tempo, vão quebrar a cara feio, não quero nem tá perto. Mas, o pior furto foi o que fizeram com a mensagem de Jesus Cristo, que já muito antes falava – e não só falava, mas agia – sobre igualdade, fraternidade e liberdade. O papinho marqueteiro dessa gente ganhou a simpatia de um povo aproveitando-se do conhecimento de uma psicologia cristã. Lançaram códigos no inconsciente coletivo e colheram uma espécie de confiança tautológica: o politicamente correto.

Ah! Mas, isso está para acabar, sim senhor. E a coisa está de um jeito, minha senhora, que ela mesma, a Nossa Senhora, uma hora vem e intervém. Isso mesmo. Tudo tem um limite, e além disso, essa terra aqui já possui um destino há muito traçado, o mundo está ruindo e ela foi escolhida como o novo celeiro, um nascedouro de seres divinos.

Uma tarde dessas, você vai ao mercado fazer compras, vê o preço da cebola, se arrepia, se benze… Tudo pela hora da morte, e de repente uma luz começa a brilhar. Ela transpassa a tudo e a todos tal como uma nuvem tênue, e você olha e não acredita, mas os seres divinos chegam e tudo no mundo para de ser feito, como num pause global. A Terra para por alguns instantes de girar. Os servidores não funcionam…

Aí, meus irmãos, é que a coisa vai ficar bonita. A mentira toda se desmantelar como pedra de gelo no asfalto quente. E não poderemos gritar, em vão, “Senhor, Senhor…” As obras. Teremos que mostrar obras. Não vai adiantar dizer que é de uma ou de outra religião, sem prestar essa conta.

E então, meus irmãos, vai ser uma tal de revelação acontecer uma após outra, que vai ter muita gente com saudade dos tempos em que os escândalos aconteciam dia após dia e não a cada segundo, como vai ser quando essa luz de Jesus aparelhar o planeta de vez. Não vai ter golpe? Não vai é mais haver marketing que dê jeito para retocar a imagem e esconder, vai ficar absolutamente evidente com que força cada um estará, positiva ou negativa.

Sim, uma intervenção divina. Imagine surgindo diante dos exércitos reunidos as hostes angelicais, com um general à frente, embainhando uma espada brilhante como diamante, trazendo um escudo energizado com muitos mil megatons de energia positiva. E os devotos na Terra batendo a mão no peito – “Salve! São Miguel!” Salve! São Miguel!” Sim, e São Miguel chamando para o seu lado uma legião de bons soldados das nossas polícias federais, estaduais, chamando os bons militares, e indo à frente mostrar e ensinar como se resolve de vez essa questão complicada em que se meteu o país. Os tanques não serão necessários.

Não complicada, é simples a questão. Mas, difícil. E as hierarquias angelicais assumindo seus postos em todos os lugares e áreas. E os bandidos, pilantras, ordinários, salafrários, ladravazes de um país que poderia ser hoje a potência do mundo, e não passa de apenas o mais assaltado, massacrado, vilipendiado e excruciado. Todo esse povo do mal caindo em si, aceitando a rendição e chorando e rangendo os dentes.

Uma luz ainda mais brilhante chega, e é Jesus. E ele apenas aponta para um ponto no zênite e dá ordem a um ser medonho, escuro, denso, pavoroso, que é atraído, mas tentando se arrastar para longe dos seus divinos pés. E o povo mau observa e Jesus fala: “Vejam quem vocês sempre seguiram…” “E agora…?” E esse “E agora…?” parece ecoar na atmosfera como um eco incessante, ressonante, trovoantes círculos do inferno de Dante.

Peia! É o que estão querendo, só pode ser. Do jeito que as coisas caminham, nessa velocidade terrível de nossos dias, não custa Jesus Cristo fazer Ele mesmo, muito além da divina intervenção, a intervenção divina. E tudo com a divina perfeição!

Pra mim, isso acontecerá assim que alcançarmos um misterioso número de aparelhos, cristãos. O mal aparelha o Estado, mas Cristo, o bem excelso, aparelha almas. É preciso um número suficiente de almas para aparelhar o Cristo. E uma nova civilização de paz e verdade pode então nascer na Terra do Santo Cruzeiro. E o uso de energias sutis então descobertas, na verdade reveladas aos homens de boa vontade, que emanciparão os homens do fardo animalesco, cuidando de tudo a fim de que todos tenham em abundância, e a inveja e a cobiça e a mentira não existam mais. A cada um conforme o que necessita, de cada um conforme pode dar.

Pode acontecer numa tarde dessas. Você fazendo compras dentro de um supermercado, espantado com o preço das cebolas…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s